sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Coelogyne lawrenceana - 1º ANIVERSÁRIO DO BLOG


Coelogyne lawrenceana
floração 30/09/2011
Nova Friburgo - Rio de Janeiro
foto e propriedade mgloriam

Classificação

Gênero: Coelogyne Lindley; Espécie: Coelogyne lawrenceana Rolfe 1905; Tribo: Coelogyneae; Subtribo: Coelogyninae; Etimologia: Coelogyne, do grego “koilos“, buraco, cavidade; “gyne“, feminino; Epíteto: lawrenceana, latinização do nome Lawrence, entusiasta orquidófilo inglês do século XIX.

http://www.orquidariocuiaba.com.br/fichas-de-orquideas/coelogyne-lawrenceana-rolfe/
-------

ANIVERSÁRIO DO BLOG

Hoje o blog completa seu primeiro ano de existência, registrando em média  2000 visitas/mês, o que estimula a continuar com a missão de transmitir aos adoradores e cultivadores (iniciantes)  o meu aprendizado diário com cada espécie; a concientização da preservação; o cultivo responsável; a aquisição de plantas através de orquidários comerciais, coibindo a coleta e cultivo de plantas nativas.
Aproveito para agradecer à todos que visitaram o blog e àqueles que gentilmente autorizaram a publicação de assuntos pertinentes ao cultivo da espécie mais evoluída e brilhante do reino vegetal:

AS ORQUÍDEAS.

.........................

A contaminação pelo vírus da Orquídea

Compartilho com vocês a história e a foto da minha primeira orquídea.
Em Dezembro de 2005 ganhei um belo arranjo com uma orquídea florida,  se me lembro bem, suas flores duraram uns 2 meses, muito depois descobri seu nome: Phalaenopsis.
Quando as flores secaram restou um vaso com folhas verdes, uma haste enorme com o arame (horrível), que foi colocada num canto da varanda, exatamente no banco da bicicleta ergométrica.
Como não entendia nada de orquídeas, olhava para ela com medo e quando lembrava regava.
Nada de adubo, nada de nada, aliás ela só estava viva justamente por eu não lembrar dela.
No ano seguinte, ao me aproximar do vaso, observei algo muito estranho naquela haste comprida, eram botões e ela floriu.
Não satisfeita, em me surpreender, ainda começou a soltar umas coisas esquisitas, eram minúsculas  folhas.
Aquelas coisinhas chamaram minha atenção e ao pesquisar descobri que eram keikeis ou  mudinhas, descobri também que era muito raro acontecer.
Naquele ano fui contaminada pelo vírus maravilhoso da orquidofilia.

A primeira orquídea a gente nunca esquece e está comigo até hoje e no momento florida.


 floração de 2005
keikeis em 2006
(o vaso da foto é de fibra)

Nota: KEIKI – São plântulas que emergem nas hastes florais ou mesmo na base de determinados gêneros, como Phalaenopsis e Dendrobium, inicialmente com folhas e raízes, que, com determinado tamanho, podem ser retiradas e replantadas, constituindo uma nova planta. A palavra tem origem no Havaí e se pronuncia “quêiqui”.
fonte:http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/meio-ambiente-glossario-ecologico/glossario-ecologico.php

2 comentários:

Rinaldo e Valéria disse...

Parabéns Mglorian.
Teu blog é sucesso, que que continue assim.
Abraços
Rinaldo

Rinaldo e Valéria disse...

Parabéns Mgloriam!!!
Teu blog blog é um sucesso.

Abraços

Rinaldo